Merck Sharp & Dohme - Portugal
MSD Portugal Publicacoes MSD
Pesquisa
IntroduçãoAjuda


Imprimir Enviar Artigo

Periodontite


A periodontite (piorreia) aparece quando a gengivite se propaga às estruturas que suportam o dente.

A periodontite é uma das causas principais de desprendimento dos dentes nos adultos e é a principal em pessoas mais idosas.

Causa

A maioria dos casos de periodontite são a consequência de uma acumulação prolongada de placa bacteriana e tártaro entre os dentes e as gengivas, favorecendo assim a formação de cavidades profundas entre a raiz do dente e o osso subjacente. Estas cavidades acumulam placa bacteriana num ambiente sem oxigénio, que estimula o crescimento de bactérias. Se o processo continuar, o maxilar adjacente à cavidade, finalmente, vai-se destruindo até que o dente abana.

O grau do desenvolvimento da periodontite difere consideravelmente mesmo entre indivíduos com quantidades semelhantes de tártaro, provavelmente porque, segundo as pessoas, a placa bacteriana contém diversos tipos e quantidades de bactérias e porque cada pessoa reage de modo diferente às bactérias. A periodontite pode desencadear surtos de actividade destrutiva que duram meses, seguidos de períodos em que a doença aparentemente não causa danos de maior.

Muitas doenças podem predispor a que se contraia a periodonite, entre elas a diabetes mellitus, a síndroma de Down, a doença de Crohn, uma deficiência de glóbulos brancos e a SIDA. A periodontite progride rapidamente nos afectados pela SIDA.

Sintomas e diagnóstico

Os sintomas iniciais da periodontite são a hemorragia, a inflamação das gengivas e o mau hálito (halitose). Os estomatologistas medem a profundidade das cavidades nas gengivas com uma sonda fina e as radiografias mostram a quantidade de osso perdido. Quanto maior for a perda de osso, mais o dente afrouxa e muda de posição. É comum que os dentes da frente se projectem para fora. Habitualmente a periodontite não causa dor até que os dentes afrouxam o suficiente para se moverem ao mastigar ou até que se forme um abcesso (acumulação de pus).

Tratamento

Ao contrário da gengivite, que habitualmente desaparece com um bom cuidado bucodentário, a periodontite requer um tratamento profissional. O doente que pratique uma boa higiene dentária consegue limpar somente 2 mm abaixo da linha gengival.

O estomatologista pode limpar os orifícios até 5 mm de profundidade, usando um raspador e uma escova de raízes que retira a fundo o tártaro e a superfície doente da raiz. Para os orifícios de 6 mm ou mais requer-se, frequentemente, um tratamento cirúrgico. É também possível tirar a porção solta das gengivas, de modo que o resto possa aderir de novo e de forma firme aos dentes, permitindo assim a limpeza da placa bacteriana em casa.

O estomatologista pode prescrever antibióticos, especialmente no caso de abcessos. Nos orifícios profundos podem colocar-se filamentos impregnados de antibiótico, para que uma concentração alta do fármaco possa alcançar a área doente. Os abcessos periodontais causam um surto de destruição óssea, mas o tratamento imediato com cirurgia e antibióticos pode contribuir para a regeneração de grande parte do osso danificado. Enquanto a boca permanecer inflamada depois da operação, enxaguar a boca com cloro-hexidina durante um minuto duas vezes por dia pode substituir temporariamente a escova de dentes e o fio dental.



Política de Privacidade Termos de Utilizaçao Direitos Reservados © 2006 MERCK SHARP & DOHME PORTUGAL Merck & CO., (USA)