Merck Sharp & Dohme - Portugal
MSD Portugal Publicacoes MSD
Pesquisa
IntroduçãoAjuda


Imprimir Enviar Artigo

Hemorróidas


As hemorróidas são tecidos edemaciados que contêm veias e que estão localizados nas paredes do recto e do ânus.

As hemorróidas podem inflamar-se, desenvolver um coágulo sanguíneo (trombo), sangrar ou hipertrofiar-se e protrair para fora pelo ânus (prolapso). As que permanecem no ânus chamam-se hemorróidas internas e as que fazem protraimento para fora deste denominam-se hemorróidas externas.

As hemorróidas podem formar-se devido a esforços repetidos e intensos durante as evacuações. A prisão de ventre pode piorar a situação. A doença hepática aumenta a pressão sanguínea na veia porta, conduzindo por vezes à formação de hemorróidas.

Hemorróidas

Sintomas e diagnóstico

As hemorróidas podem sangrar, normalmente depois duma evacuação, fazendo com que as fezes ou o papel higiénico se manchem de sangue. O sangue pode fazer com que a água da sanita se tinja de vermelho. No entanto, apesar do seu aspecto aparatoso, a quantidade de sangue normalmente é pequena e as hemorróidas raramente provocam grandes perdas de sangue ou um quadro anémico.

As que fazem protraimento pelo ânus podem ser reintroduzidas de novo, suavemente, com um dedo ou, por vezes, podem retroceder por si próprias. Uma hemorróida pode dilatar-se ou tornar-se dolorosa se a sua superfície for submetida a uma fricção contínua ou se se formar um coágulo no seu interior. Com menor frequência, podem segregar muco e criar a sensação de que o recto não está completamente vazio. A comichão na região anal (prurido anal) não é um sintoma de hemorróidas, mas pode acontecer, já que a zona dolorosa é difícil de manter limpa.

O médico pode diagnosticar rapidamente as hemorróidas inflamadas e dolorosas mediante a inspecção do ânus e do recto. A anuscopia e a sigmoidoscopia ajudam a determinar se o doente sofre de alguma doença mais grave, como um tumor.

Tratamento

Normalmente, as hemorróidas não requerem tratamento, a não ser que provoquem sintomas. A ingestão de agentes emolientes que amolecem as fezes ou de mucilagens podem aliviar a obstipação e evitar os esforços excessivos que a acompanham. As hemorróidas sangrantes podem ser tratadas com a injecção de substâncias que facilitam a formação de tecido cicatrizante que colapse essas veias; este processo denomina-se escleroterapia.

As hemorróidas internas de grande dimensão e as que não respondem à escleroterapia são laqueadas com faixas elásticas. Este processo, chamado laqueação com faixas elásticas, faz com que a hemorróida se atrofie e se solte sem provocar dor. O tratamento é aplicado numa só hemorróida de cada vez, em intervalos de duas semanas ou mais. Podem ser necessários entre 3 e 6 tratamentos. As hemorróidas também podem ser destruídas utilizando laser (destruição por laser), raios infravermelhos (fotocoagulação por infravermelhos) ou uma corrente eléctrica (electrocoagulação). Se os outros processos falharem, pode-se recorrer à cirurgia.

Quando uma hemorróida com um coágulo de sangue dói, trata-se com banhos de assento (lavagens em que a pessoa se senta na água), unguentos anestésicos locais ou compressas de avelã. A dor e a inflamação costumam diminuir depois dum curto período de tempo e os coágulos desaparecem ao fim de 4 a 6 semanas. Por outro lado, o especialista pode abrir a veia e retirar o coágulo numa tentativa de aliviar a dor rapidamente.



Política de Privacidade Termos de Utilizaçao Direitos Reservados © 2006 MERCK SHARP & DOHME PORTUGAL Merck & CO., (USA)