Merck Sharp & Dohme - Portugal
MSD Portugal Publicacoes MSD
Pesquisa
IntroduçãoAjuda


Imprimir Enviar Artigo

Peritonite


A peritonite é a inflamação do revestimento da cavidade abdominal (peritoneu) provocada geralmente por uma infecção.

O peritoneu, ou peritónio é uma membrana fina e transparente que reveste todos os órgãos intra-abdominais e a face interna das paredes do abdómen. A peritonite é normalmente provocada por uma infecção propagada a partir dum órgão do abdómen. São causas frequentes as perfurações do estômago, do intestino, da vesícula biliar ou do apêndice. O peritoneu é bastante resistente à infecção. A menos que a contaminação seja muito persistente, não se desenvolve peritonite; o peritoneu tem tendência para se curar com o tratamento.

A doença inflamatória pélvica em mulheres sexualmente activas é uma causa frequente de peritonite. Uma infecção do útero e das trompas de Falópio (que pode ser causada por vários tipos de bactérias, como as que provocam a gonorreia e as infecções por clamídias) estende-se pelo interior da cavidade abdominal. Na insuficiência hepática ou cardíaca, podem acumular-se líquidos no abdómen (ascite) e produzir-se uma infecção.

Em consequência duma intervenção cirúrgica pode-se desenvolver uma peritonite por várias razões. Uma lesão na vesícula biliar, no ureter, na bexiga ou no intestino, durante uma intervenção, pode disseminar bactérias pelo abdómen. Nas operações em que se ligam dois segmentos intestinais, pode-se escapar conteúdo intestinal através dos pontos de sutura.

A diálise peritoneal (um tratamento para a insuficiência renal) (Ver secção 11, capítulo 123) favorece com frequência o desenvolvimento duma peritonite. A causa habitual é uma infecção que abre passagem através dos drenos colocados no abdómen.

A peritonite também pode dever-se a uma irritação sem que exista infecção. Por exemplo, a inflamação do pâncreas (pancreatite aguda) pode provocar peritonite. Da mesma forma, o talco ou o amido das luvas do cirurgião podem provocar uma peritonite sem infecção.

Sintomas

Os sintomas duma infecção do peritoneu dependem em parte do tipo e da extensão da infecção. Normalmente, a pessoa vomita, tem febre alta e um abdómen doloroso. Podem formar-se um ou mais abcessos e a infecção pode deixar cicatrizes em forma de faixas de tecido (aderências) que podem acabar por provocar uma obstrução intestinal.

A menos que a peritonite seja tratada de imediato, rapidamente se desenvolvem complicações. Desaparece o peristaltismo (os movimentos intestinais) e os líquidos ficam retidos no intestino delgado e no grosso. Do fluxo sanguíneo também passa líquido para a cavidade peritoneal. Desenvolve-se uma grave desidratação e perdem-se electrólitos. Em consequência, podem aparecer complicações graves, como insuficiência respiratória, renal ou hepática e uma coagulação intravascular disseminada.

Diagnóstico

É fundamental estabelecer um diagnóstico rápido. Para isso, obtêm-se radiografias com o paciente deitado e de pé. Nelas pode observar-se a presença de gás livre no abdómen (fora do intestino), o que indica uma perfuração. Por vezes, é utilizada uma agulha para extrair líquido da cavidade abdominal, com o fim de enviar uma amostra para o laboratório para identificar os microrganismos infecciosos e analisar a sua sensibilidade a diversos antibióticos. No entanto, a cirurgia exploratória é o método diagnóstico mais fiável.

Tratamento

Normalmente, a primeira medida é a cirurgia exploratória de urgência, sobretudo quando parece provável uma apendicite, uma perfuração duma úlcera péptica ou uma diverticulite. Se se tratar duma crise de inflamação do pâncreas (pancreatite aguda) ou duma doença inflamatória pélvica (nas mulheres), normalmente não se faz uma intervenção cirúrgica urgente.

São administrados antibióticos imediatamente, em geral vários de cada vez. Também se pode colocar uma sonda pelo nariz até ao estômago ou ao intestino para drenar líquidos e gases. Também podem ser administrados líquidos e electrólitos por via endovenosa para repor os que se tenham perdido.



Política de Privacidade Termos de Utilizaçao Direitos Reservados © 2006 MERCK SHARP & DOHME PORTUGAL Merck & CO., (USA)