Merck Sharp & Dohme - Portugal
MSD Portugal Publicacoes MSD
Pesquisa
IntroduçãoAjuda


Imprimir Enviar Artigo

Pielonefrite


A pielonefrite é uma infecção bacteriana de um ou de ambos os rins.

A Escherichia coli, uma bactéria que normalmente se encontra no intestino grosso, provoca aproximadamente 90 % das infecções do rim entre as pessoas que vivem em comunidade, mas só é responsável de aproximadamente 50 % das infecções renais dos doentes internados num hospital. As infecções geralmente ascendem da zona genital para a bexiga. Se as vias urinárias funcionam normalmente, a infecção não se pode deslocar para os rins desde os ureteres, visto que o fluxo de urina arrasta os microrganismos e o fecho dos ureteres no seu ponto de entrada na bexiga também o impede. Contudo, qualquer obstrução física ao fluxo da urina, como um cálculo renal ou uma dilatação da próstata, ou o refluxo da urina desde a bexiga para o interior dos ureteres, aumenta a probabilidade de uma infecção do rim.

As infecções também podem ser transportadas para os rins desde outro local do corpo através da circulação sanguínea. Por exemplo, uma infecção na pele por estafilococo pode estender-se aos rins através da circulação sanguínea.

Outras situações que aumentam o risco de uma infecção do rim são a gravidez, a diabetes e os processos que diminuem a capacidade do organismo para combater a infecção.

Sintomas

Os sintomas de uma infecção do rim em geral começam repentinamente com calafrios, febre, dor na parte inferior das costas, em qualquer dos dois lados das costas (zonas lombares), náuseas e vómito.

Aproximadamente um terço das pessoas que sofrem de infecções do rim também tem sintomas de uma infecção das vias urinárias inferiores, incluindo micção frequente e dolorosa. Um dos dois rins pode estar aumentado e dorido e na região lombar do lado afectado sente-se dor. Por vezes os músculos do abdómen estão fortemente contraídos. Uma pessoa pode experimentar episódios de dor intensa provocados pelos espasmos de um dos ureteres (cólica renal). Os espasmos podem ser causados pela infecção ou pela passagem de um cálculo renal. Nas crianças, os sintomas de uma infecção renal muitas vezes são ligeiros e mais difíceis de reconhecer. Numa infecção de longa duração (pielonefrite crónica), a dor pode ser vaga e a febre pode ir e vir ou não existir em absoluto. A pielonefrite crónica surge apenas nas pessoas que têm alterações subjacentes importantes, como uma obstrução das vias urinárias, grandes cálculos renais ou, mais frequentemente, o refluxo da urina desde a bexiga para os ureteres, nas crianças pequenas. Por fim, a pielonefrite crónica pode lesar os rins de tal maneira que origina a sua disfunção. O resultado é a insuficiência renal. (Ver tabela da secção 11, capítulo 122)

Diagnóstico

Os sintomas típicos de uma infecção do rim levam o médico a realizar dois exames complementares habituais para determinar se os rins estão infectados: o exame microscópico de uma amostra de urina e a cultura de bactérias para determinar quais estão presentes.

Devem realizar-se provas adicionais nas pessoas com intensa dor de costas provocada por uma cólica renal, nas que não respondem ao tratamento antibiótico nas primeiras 48 horas ou cujos sintomas reaparecem pouco depois de finalizado o tratamento, e também nos homens, porque estes muito raramente desenvolvem uma infecção do rim. As ecografias ou as radiografias que se efectuam nestas situações podem revelar a existência de cálculos renais, alterações estruturais ou outras causas de obstrução urinária.

Tratamento

Deve iniciar-se a administração de antibióticos mal o diagnóstico de uma infecção renal pareça verosímil e se tenham colhido as amostras de urina e de sangue para os exames complementares. Pode-se modificar a escolha do medicamento ou a sua dosagem em função dos resultados desses exames. O tratamento antibiótico para prevenir a recidiva da infecção, em geral, é continuado durante 2 semanas, mas pode durar até 6 semanas no caso dos homens, em que a infecção é, habitualmente, mais difícil de erradicar. Em geral, às 4 ou 6 semanas depois de se ter concluído o tratamento com antibióticos colhe-se uma nova amostra de urina para se ter a certeza de que a infecção foi erradicada.

Se os exames revelarem alguma causa que favoreça a infecção, como uma obstrução, uma alteração estrutural ou um cálculo, pode ser necessária uma intervenção cirúrgica que corrija esta situação.

As pessoas que sofrem infecções frequentes do rim, ou cujas infecções reaparecem depois de ter terminado o tratamento com antibióticos, são aconselhadas a tomar uma pequena dose de antibiótico todos os dias como forma de terapia preventiva. A duração ideal dessa terapia não está estabelecida, mas muitas vezes é interrompida ao cabo de um ano. Se a infecção voltar a reaparecer, pode-se continuar com a terapia indefinidamente.

Pielonefrite crónica
A pielonefrite crónica pode produzir uma lesão irreversível do rim, levando finalmente a insuficiência renal crónica.


Política de Privacidade Termos de Utilizaçao Direitos Reservados © 2006 MERCK SHARP & DOHME PORTUGAL Merck & CO., (USA)