Merck Sharp & Dohme - Portugal
MSD Portugal Publicacoes MSD
Pesquisa
IntroduçãoAjuda


Imprimir Enviar Artigo

Baixas concentrações de sódio


A hiponatremia (valor baixo do sódio no sangue) é uma concentração de sódio no sangue abaixo de 136 miliequivalentes (mEq) por litro de sangue.

A concentração de sódio no sangue desce em demasia quando o sódio se diluiu em excesso por uma quantidade aumentada de água no corpo. O sódio pode diluir-se excessivamente naquelas pessoas que bebem enormes quantidades de água, como acontece algumas vezes em certas perturbações e nos pacientes hospitalizados que recebem por via endovenosa grandes quantidades de líquidos. De qualquer modo, a quantidade de líquido ingerido ultrapassa a capacidade dos rins para eliminar o excesso. O consumo de pequenas quantidades de água (como um litro por dia) pode produzir hiponatremia nos indivíduos cujos rins não funcionam adequadamente, como acontece na insuficiência renal. A hiponatremia também pode dar-se muitas vezes em pessoas que sofrem de insuficiência cardíaca e cirrose hepática, nas quais se verifica um aumento do volume de sangue. Nesses casos, este aumento provoca uma diluição excessiva do sódio, embora, em geral, aumente de igual modo a quantidade total de sódio no organismo.

A hiponatremia verifica-se em pessoas com glândulas supra-renais hipoactivas que excretam demasiado sódio (doença de Addison). (Ver secção 13, capítulo 146) Esta perda de sódio pela urina é provocada por uma deficiência da aldosterona (uma hormona supra-renal).

As pessoas com a síndroma da secreção inapropriada da hormona antidiurética (SIADH) têm baixas concentrações de sódio por diversos motivos. Nesta perturbação, a hipófise, glândula localizada na base do cérebro, segrega demasiada hormona antidiurética. (Ver secção 13, capítulo 144) Esta faz com que o corpo retenha água e o sódio se dilua no sangue.

Sintomas

A velocidade com que a concentração de sódio no sangue diminui determina em parte a gravidade dos sintomas. Quando a concentração desce lentamente, os sintomas tendem a ser menos graves e não aparecem até que os valores sejam extremamente baixos. Quando a concentração diminui muito depressa, os sintomas são mais graves e tendem a produzir-se inclusive com diminuições menos pronunciadas. O cérebro é especialmente sensível às alterações na concentração de sódio no sangue. Por conseguinte, a letargia e a confusão figuram entre os sintomas iniciais da hiponatremia. Quando a hiponatremia se torna mais grave, os músculos podem apresentar contracções e convulsões. Nos casos mais graves, podem aparecer estupor e coma e, finalmente, o paciente pode morrer.

Tratamento

A hiponatremia grave é uma urgência médica que exige tratamento imediato e intensivo. Depois de tomadas as medidas de urgência necessárias, os médicos aumentam lentamente a concentração de sódio no sangue com a administração endovenosa de líquidos, já que um aumento demasiado rápido pode provocar lesões cerebrais permanentes.

Restringe-se o consumo de líquidos e tenta-se identificar e corrigir a causa de base da hiponatremia. Naquelas pessoas que apresentam a síndroma de secreção inapropriada da hormona antidiurética, identificam-se as causas potenciais e tratam-se na medida do possível.

A demeclociclina ou os diuréticos tiazídicos, que diminuem o efeito da hormona antidiurética sobre os rins, podem ser administrados se a hiponatremia se agravar ou não melhorar apesar da restrição de líquidos.



Política de Privacidade Termos de Utilizaçao Direitos Reservados © 2006 MERCK SHARP & DOHME PORTUGAL Merck & CO., (USA)