Merck Sharp & Dohme - Portugal
MSD Portugal Publicacoes MSD
Pesquisa
IntroduçãoAjuda


Imprimir Enviar Artigo

Acidose metabólica


A acidose metabólica é uma acidez excessiva do sangue caracterizada por uma concentração anormalmente baixa de bicarbonato no sangue.

Quando um aumento do ácido ultrapassa o sistema de amortecimento do pH do corpo, o sangue pode acidificar-se. Quando o pH do sangue diminui, a respiração torna-se mais profunda e mais rápida, porque o corpo tenta libertar o sangue do excesso de ácido diminuindo o volume do anidrido carbónico.

Finalmente, também os rins tentam compensá-lo por meio da excreção de uma maior quantidade de ácido na urina. Contudo, ambos os mecanismos podem ser ultrapassados se o corpo continuar a produzir demasiado ácido, o que conduz a uma acidose grave e finalmente ao coma.

Causas

As causas da acidose metabólica podem agrupar-se em três categorias principais.

Em primeiro lugar, a quantidade de ácido no organismo pode aumentar devido à ingestão de um ácido ou de uma substância que ao metabolizar-se se transforma em ácido. A maior parte das substâncias que causam acidose ao ser ingeridas consideram-se venenosas. Os exemplos incluem o álcool de madeira (metanol) e os anticoagulantes (etilenoglicol). Contudo, mesmo uma sobredose de aspirina (ácido acetilsalicílico) pode provocar acidose metabólica.

Em segundo lugar, o corpo pode produzir quantidades crescentes de ácido através do metabolismo. O organismo pode produzir um excesso de ácido em consequência de várias doenças; uma das mais significativas é a diabetes mellitus tipo I. Quando a diabetes está mal controlada, o corpo decompõe os lípidos e produz ácidos denominados cetonas; também produz um excesso de ácido nos estádios avançados do choque, formando ácido láctico através do metabolismo do açúcar.

Em terceiro lugar, a acidose metabólica pode ser consequência da incapacidade dos rins em excretarem a quantidade suficiente de ácido. A produção de quantidades normais de ácido pode produzir uma acidose quando os rins não funcionam normalmente. Este tipo de disfunção do rim denomina-se acidose tubular renal e pode surgir nas pessoas com insuficiência renal ou que tenham alterações que afectam a capacidade dos rins para excretar ácido.

Sintomas e diagnóstico

Um indivíduo com acidose metabólica ligeira pode não apresentar sintomas, embora em geral tenha náuseas, vómitos e cansaço. A respiração torna-se mais profunda ou ligeiramente mais rápida, mas isto mesmo pode passar despercebido em muitos casos.

Quando a acidose se agrava, o doente começa a sentir-se extremamente fraco e sonolento e pode sentir-se também confuso e cada vez com mais náuseas. Se a acidose continuar a agravar-se, a pressão arterial pode baixar bruscamente, conduzindo ao choque, ao coma e à morte.

O diagnóstico de acidose requer em geral a determinação do pH sanguíneo numa amostra de sangue arterial, colhida habitualmente da artéria radial no antebraço. Usa-se o sangue arterial porque o sangue venoso não proporciona uma medição exacta do pH.

Para saber um pouco mais sobre a causa da acidose, os médicos também medem as concentrações de anidrido carbónico e de bicarbonato no sangue. Podem ser levadas a cabo análises adicionais de sangue para determinar a causa. Por exemplo, as altas concentrações de açúcar no sangue e a presença de cetonas na urina indicam geralmente uma diabetes não controlada. A presença de uma substância tóxica no sangue sugere que a acidose metabólica é causada por intoxicação ou sobredose. Por vezes examina-se ao microscópio a urina e mede-se o seu pH.

Tratamento

O tratamento da acidose metabólica depende principalmente da causa. Sempre que for possível, trata-se a causa base. Por exemplo, pode-se controlar a diabetes com insulina ou tratar a intoxicação mediante a eliminação da substância tóxica do sangue. Por vezes é necessário recorrer à diálise para tratar casos graves de sobredose e intoxicação.

A acidose metabólica também pode ser tratada directamente. Se a acidose for ligeira, é possível que seja suficiente fornecer líquidos por via endovenosa e tratar a perturbação de base. Quando a acidose for grave, pode-se administrar bicarbonato por via endovenosa; contudo, o bicarbonato proporciona apenas alívio temporário e também pode causar problemas.




Causas principais de acidose e alcalose metabólicas
Acidose metabólica Insuficiência renal.
Acidose tubular renal (um tipo de malformação renal).
Cetoacidose diabética.
Acidose láctica (acumulação de ácido láctico).
Substâncias tóxicas como etilenoglicol, salicilato (em dose excessiva), metanol, paraldeído, acetazolamida ou cloreto de amónio.
Perda de bases, como o bicarbonato, através do tracto gastrointestinal, causada por diarreia, íleostomia ou uma colostomia.
Alcalose metabólica Uso de diuréticos (tiazidas, furosemida, ácido etacrínico).
Perda de ácido causada por vómitos ou aspiração do conteúdo do estômago.
Glândulas supra-renais hiperactivas (síndroma de Cushing ou utilização de corticosteróide).


Política de Privacidade Termos de Utilizaçao Direitos Reservados © 2006 MERCK SHARP & DOHME PORTUGAL Merck & CO., (USA)