Merck Sharp & Dohme - Portugal
MSD Portugal Publicacoes MSD
Pesquisa
IntroduçãoAjuda


Imprimir Enviar Artigo

Medicamentos que afectam a coagulação


Alguns tipos de medicamentos podem ajudar as pessoas que sofrem de doenças que implicam um grande risco de desenvolvimento de coágulos sanguíneos perigosos. Na doença grave das artérias coronárias, as pequenas acumulações de plaquetas podem obstruir uma artéria coronária que já está estreita e cortar a circulação sanguínea do coração, originando um ataque cardíaco. As pequenas doses de aspirina, assim como de outros medicamentos, tendem a reduzir a adesão das plaquetas com o fim de não se aglutinarem, obstruindo as artérias.

Outro tipo de medicamento, um anticoagulante, reduz a tendência do sangue para coagular ao inibir a acção dos factores da coagulação. Embora se costumem chamar diluentes do sangue, na realidade os anticoagulantes não o diluem. Os anticoagulantes mais utilizados são o acenocumarol ou a varfarina, administrados por via oral, e a heparina, em forma injectável.

As pessoas com válvulas cardíacas artificiais ou que têm de permanecer na cama durante muito tempo recebem anticoagulantes para prevenir a formação de coágulos. Quem ingere anti-coagulantes deve ser controlado cuidadosamente. Os médicos controlam os efeitos destes medicamentos por meio de análises de sangue que avaliam o tempo de coagulação e regulam as doses em função dos resultados das análises. As doses demasiado baixas podem não ser eficazes para controlar a coagulação, enquanto as doses muito elevadas podem causar uma hemorragia grave.

Os medicamentos fibrinolíticos facilitam a dissolução dos coágulos existentes. A dissolução imediata dos coágulos pode evitar a morte do tecido cardíaco que carece de irrigação sanguínea devido à obstrução dos vasos do sangue. (Ver secção 3, capítulo 27)

Os três medicamentos fibrinolíticos que mais se utilizam para dissolver coágulos nas pessoas que sofreram um ataque cardíaco são a estreptoquinase, a uroquinase e um activador tecidular do plasminogénio. Estes medicamentos podem salvar a vida do doente se forem administrados durante as primeiras horas posteriores a um ataque cardíaco ou então quando a sua aplicação responde a outra perturbação de coagulação, mas também podem originar uma hemorragia excessiva.




Perturbações hemorrágicas: por que razão o sangue não coagula
Trombocitopenia
A concentração de plaquetas no sangue é muito baixa.

Síndroma de Von Willenbrand
As plaquetas não aderem às rupturas das paredes dos vasos sanguíneos.

Perturbações hereditárias das plaquetas
As plaquetas não aderem umas às outras para formar um rolhão.

Hemofilia
Falta de factor da coagulação VIII ou IX.

Coagulação intravascular disseminada
Consumo dos factores da coagulação por coagulação excessiva.



Política de Privacidade Termos de Utilizaçao Direitos Reservados © 2006 MERCK SHARP & DOHME PORTUGAL Merck & CO., (USA)