Merck Sharp & Dohme - Portugal
MSD Portugal Publicacoes MSD
Pesquisa
IntroduçãoAjuda


Imprimir Enviar Artigo

Celulite


A celulite é uma infecção bacteriana extensa da pele e dos tecidos que se encontram por baixo dela.

A celulite pode ser causada por diferentes bactérias; a mais frequente é o estreptococo. Estas bactérias espalham-se rapidamente sobre uma ampla área porque produzem enzimas que impedem que os tecidos limitem a extensão da infecção. Os estafilococos, outro tipo de bactéria, também podem causar celulite, mas, em geral, numa área mais reduzida. Outras bactérias causam celulite após determinadas lesões, como as mordeduras de animais ou as lesões cutâneas ocorridas em água doce ou salgada.

Em geral, a celulite desenvolve-se nas pernas. A infecção costuma aparecer depois de a pele ter sido danificada em virtude de uma lesão, ulceração, pé-de-atleta ou dermatite. As zonas da pele que incham devido a líquido exsudado (edema) são as mais vulneráveis. A celulite tende a recidivar nas cicatrizes cirúrgicas ou perto delas (por exemplo, na cirurgia das varizes). Contudo, podem também surgir em pele que não foi danificada.

A infecção pode espalhar-se rapidamente e penetrar nos vasos linfáticos e na corrente sanguínea, depois do que se pode espalhar por todo o organismo.

Sintomas e complicações

Os primeiros sintomas são a vermelhidão e a dor numa pequena superfície da pele. A pele infectada aquece e incha e pode ter o aspecto de casca de laranja (uma perturbação conhecida precisamente como «pele de laranja»). Numa variedade de celulite, chamada erisipela, os bordos da zona infectada são elevados. Aparecem frequentemente pequenos pontos vermelhos (petéquias); raramente surgem manchas maiores provocadas por uma hemorragia na pele (equimose). Podem apresentar-se pequenas bolhas cheias de líquido (vesículas) ou mesmo maiores sobre a pele infectada, as quais por vezes se rompem.

À medida que a infecção se espalha a uma área mais extensa, os gânglios linfáticos regionais podem aumentar de volume e tornar-se dolorosos. Os da virilha podem ser afectados pelas infecções das pernas; os da axila, pelas dos braços. Sobre a pele podem aparecer linhas encarnadas entre a infecção e os gânglios linfáticos vizinhos.

Uma pessoa com celulite pode sofrer de febre, arrepios, aumento do ritmo cardíaco, dor de cabeça, queda da tensão arterial e apresentar um estado de confusão. Por vezes estes sintomas surgem várias horas antes de se observar algo sobre a pele, se bem que em muitos casos nenhum daqueles sintomas apareça.

Ocasionalmente, podem formar-se abcessos como resultado da celulite. Algumas complicações raras (mas graves) incluem a difusão da infecção por baixo da pele até causar a morte dos tecidos (como na gangrena estreptocócica e na fasceíte necrosante) e mesmo a propagação pela corrente sanguínea (bacteriemia) (Ver secção 17, capítulo 176) até outras zonas do organismo. Quando a celulite afecta o mesmo local repetidas vezes, os vasos linfáticos próximos podem ficar lesados, causando um inchaço permanente do tecido afectado.

Diagnóstico

As bactérias que causam celulite são difíceis de identificar, mesmo quando se examinam amostras de sangue e se efectua uma biopsia da pele (exame microscópico de uma amostra de tecido). Contudo, as análises das amostras colhidas do pus ou de uma ferida aberta podem ajudar a identificá-las. Por vezes, os médicos precisam de efectuar testes para distinguir a celulite de um coágulo sanguíneo localizado nas veias profundas da perna (trombose venosa profunda) (Ver secção 3, capítulo 30), dado que os sintomas destas afecções são semelhantes.

Tratamento

O doente começa a tomar um antibiótico enquanto o médico diagnostica a celulite. Além disso, a parte do corpo afectada deve ser mantida imobilizada e elevada para ajudar a reduzir o inchaço. Aplicar panos frios e húmidos sobre a zona afectada pode aliviar o incómodo.

Para a celulite causada por estreptococos, é habitual prescrever-se penicilina por via oral. Nos casos mais graves, a penicilina pode ser administrada por via endovenosa e no esquema de tratamento pode associar-se a clindamicina. Os pacientes alérgicos à penicilina podem tomar eritromicina nos casos ligeiros ou então clindamicina nos casos graves. Para a celulite causada por estafilococos, o médico pode receitar dicloxacilina; para as infecções graves, pode prescrever oxacilina ou amoxicilina.

Os sintomas de uma celulite costumam desaparecer após escassos dias de terapêutica com antibióticos. Contudo, os sintomas podem piorar antes de se verificar uma melhoria, provavelmente porque com a morte súbita das bactérias se libertam enzimas que atacam os tecidos.

Se a celulite recidiva nas pernas repetidas vezes, a atenção aos problemas cutâneos pode ser de grande ajuda. Por exemplo, o pé-de-atleta, que pode causar celulite, deve ser tratado com medicação antifúngica. Um indivíduo com celulite recorrente pode também receber injecções de penicilina uma vez por mês ou então tomá-la por via oral durante uma semana por mês.



Política de Privacidade Termos de Utilizaçao Direitos Reservados © 2006 MERCK SHARP & DOHME PORTUGAL Merck & CO., (USA)