Merck Sharp & Dohme - Portugal
MSD Portugal Publicacoes MSD
Pesquisa
IntroduçãoAjuda


Imprimir Enviar Artigo

Ancilostomíase


A ancilostomíase é causada por um verme intestinal, quer seja Ancylostoma duodenale, quer Necator americanus.

Cerca de uma quarta parte da população mundial está infectada por vermes com ganchos. A infecção é frequente nas zonas quentes e húmidas onde as condições sanitárias são deficientes. O Ancylostoma duodenale encontra-se na zona do Mediterrâneo, Índia, China e Japão; o Necator americanus é típico das zonas tropicais de África, da Ásia e do continente americano.

No ciclo de vida de cada verme, os ovos são eliminados pelas fezes e amadurecem na terra depois de terem incubado durante um ou dois dias. Poucos dias depois, as larvas nascem e vivem na terra. Um indivíduo pode infectar-se ao caminhar descalço por uma zona contaminada por fezes humanas, já que as larvas lhe atravessam a pele. Estas chegam aos pulmões através dos vasos linfáticos e da corrente sanguínea. Sobem depois pelo tracto respiratório e são deglutidas. Cerca de uma semana depois de terem atravessado a pele, chegam ao intestino. Aderem por meio da sua boca ao revestimento mucoso do intestino delgado superior e aspiram sangue.

Sintomas e diagnóstico

No ponto onde as larvas atravessaram a pele pode formar-se uma erupção cutânea lisa e ligeiramente saliente que causa muita comichão (prurido da ancilostomíase). A migração das larvas através dos pulmões provoca, em certas ocasiões, febre, tosse e respiração ofegante. Os vermes adultos causam dor na parte superior do abdómen. A hemorragia intestinal conduz a uma anemia por deficiência de ferro e baixos valores de proteínas no sangue. Nas crianças, a perda considerável de sangue de forma crónica pode provocar atraso de crescimento, insuficiência cardíaca e tumefacção generalizada dos tecidos.

 

Ciclo de vida do ancilostoma duodenal

Se a infecção produzir sintomas, os ovos são habitualmente visíveis numa amostra de fezes. Se estas não forem examinadas durante várias horas, os referidos ovos podem amadurecer e libertar as larvas.

Tratamento

O tratamento prioritário consiste em corrigir a anemia, que costuma melhorar com suplementos de ferro orais, mas que pode requerer injecções de ferro. Nos casos graves, é provável que seja necessário efectuar uma transfusão. Quando o estado do doente é estável, administra-se-lhe um medicamento oral, como o pamoato de pirantel ou o mebendazol, durante um a três dias para eliminar os vermes. Estes medicamentos estão contra-indicados nas mulheres grávidas.



Política de Privacidade Termos de Utilizaçao Direitos Reservados © 2006 MERCK SHARP & DOHME PORTUGAL Merck & CO., (USA)