Merck Sharp & Dohme - Portugal
MSD Portugal Publicacoes MSD
Pesquisa
IntroduçãoAjuda


Imprimir Enviar Artigo

Resfriado ou catarro comum


O resfriado ou catarro comum (vulgo constipação) é uma infecção viral do revestimento do nariz, dos seios perinasais, da garganta e das grandes vias respiratórias.

São muitos os vírus causadores de resfriados. Os picornavírus, bem como os rinovírus, causam a maioria dos que se manifestam na Primavera, no Verão e no Outono. Os vírus da gripe e os vírus sinciciais respiratórios, que aparecem regularmente no final do Outono e no Inverno, provocam uma grande variedade de doenças, incluindo resfriados. Os da gripe transmitem-se com facilidade de pessoa a pessoa através de gotículas infectadas que são expulsas ao tossir e ao espirrar. Os rinovírus e os vírus sinciciais respiratórios transmitem-se desta forma, mas talvez o façam principalmente por contacto directo com secreções infectadas transportadas nos dedos.

O motivo pelo qual cada um tem mais probabilidade de se infectar num momento do que noutro não é de todo conhecido. A exposição ao frio não faz com que alguém se constipe nem aumentar a sua susceptibilidade a infectar-se com um vírus respiratório. Não parece influir demasiadamente o estado geral de saúde da pessoa nem os seus hábitos alimentares e também não influi o facto de ter qualquer anomalia no nariz ou na garganta, como amígdalas de grandes dimensões ou adenóides. No entanto, aqueles que se encontram cansados ou manifestam ansiedade, os que têm alergias no nariz ou na garganta e as mulheres que estejam a meio do seu ciclo menstrual são mais propensos a acusar os sintomas de um resfriado.

Sintomas e complicações

Os sintomas do catarro comum iniciam-se depois de um a três dias de se ter verificado o contacto. Em geral, os primeiros sintomas são mal-estar no nariz e na garganta. Em seguida o doente começa a espirrar, tem o nariz congestionado e sente-se ligeiramente doente. Em regra não existe febre, mas às vezes a temperatura do corpo eleva-se um pouco no início dos sintomas. As secreções do nariz são aquosas e límpidas e podem ser muito incómodas durante os primeiros dias. Posteriormente as mesmas tornam-se mais espessas, opacas, de cor amarelo-esverdeada e menos abundantes. Muitas pessoas têm também tosse. Estes sintomas costumam desaparecer em 4 a 10 dias, apesar de a tosse, com ou sem expectoração, persistir habitualmente durante mais uma semana.

As complicações podem prolongar a sintomatologia. A afecção traqueal, juntamente com uma certa tensão no peito e uma sensação de queimadura é mais frequente em algumas pessoas e com determinados vírus. As pessoas com bronquite persistente ou asma podem ter mais dificuldade em respirar durante um resfriado e depois dele. Após um resfriado pode ocorrer uma infecção bacteriana dos ouvidos, dos seios perinasais ou da traqueia e das vias respiratórias (infecção traqueobrônquica), que requer tratamento com antibióticos.

Diagnóstico

Em geral, os catarros podem diagnosticar-se rapidamente em função dos sintomas característicos. Contudo, as infecções bacterianas, as alergias e outras perturbações podem causar sintomas similares. Os mesmos vírus que produzem catarros também podem provocar sintomas semelhantes aos da gripe. Uma febre alta sugere que a afecção não é um simples resfriado. Em geral não é necessário efectuar análises para diagnosticar um resfriado, a menos que surjam complicações.

Tratamento

Uma pessoa congestionada deve evitar o frio e fazer repouso, tentando evitar o contágio a outros. Isto costuma acontecer mais nas primeiras fases da infecção. Aqueles que têm febre ou sintomas mais intensos deverão permanecer isolados e em repouso. Beber líquidos ajuda a manter as secreções fluidas para serem mais fáceis de expelir.

Os medicamentos para o catarro são do conhecimento popular, mas os seus efeitos benéficos não estão claros. (Ver secção 2, capítulo 13) A aspirina, por exemplo, pode chegar a aumentar a difusão do vírus, ao mesmo tempo que só melhora ligeiramente os sintomas. Se for necessário um medicamento para aliviar a dor ou a febre numa criança ou num adolescente, é preferível administrar paracetamol ou ibuprofeno, porque a aspirina ocasionalmente aumenta o risco de contrair a síndroma de Reye, uma perturbação potencialmente mortal. (Ver secção 23, capítulo 263)

Os descongestionantes nasais só conseguem um alívio temporário e limitado. Os anti-histamínicos podem descongestionar o nariz, mas está demonstrado que só o conseguem em indivíduos com história de alergia. Por outro lado, causam sonolência e outros efeitos colaterais, particularmente em pessoas de idade avançada. Inalar vapor ou essências mediante um nebulizador é um método que alguns consideram útil para soltar as secreções e reduzir a opressão do peito. Lavar os canais nasais com um soluto salino pode ajudar a eliminar as secreções mais persistentes. A tosse pode ser a única forma de eliminar secreções e resíduos das vias respiratórias durante uma virose, pelo que é preferível não a tratar, a menos que ela interfira com o sono ou cause um grande mal-estar. Uma tosse intensa pode ser tratada com um antitússico. Os antibióticos não são eficazes contra o catarro; só deverão usar-se se ocorrer também uma superinfecção por bactérias.




Prevenção do resfriado comum

Dado que há tantos vírus diferentes que causam resfriados, e atendendo a que a taxa de anticorpos produzidos contra um vírus destes diminui com o passar do tempo, a maioria das pessoas pode constipar-se durante toda a sua vida. Até ao momento não foi ainda criada uma vacina eficaz contra cada um dos vírus respiratórios, mas todos os anos se actualiza uma vacina contra a gripe para que actue sobre novas variedades de vírus, e além disso estão a criar-se vacinas para outros vírus, como o vírus sincicial respiratório e o vírus parainfluenza.
As melhores medidas preventivas consistem numa boa higiene. Como muitos vírus que produzem catarros se transmitem por contacto com secreções infectadas, lavar as mãos com frequência, rejeitar os lenços usados e limpar todos os elementos e superfícies pode ajudar a reduzir a sua propagação.
Foram propostos e experimentados muitos tratamentos para evitar os resfriados, mas nenhum demonstrou ser fiável e eficaz. Não se demonstrou que as grandes doses de vitamina C (até 2000 mg por dia) reduzam o risco de constipação, nem a quantidade de vírus que a pessoa infectada transmite.
O interferão é um medicamento que aumenta a resistência das células à infecção; inalado pelo nariz, pode prevenir as infecções causadas por algumas variedades de vírus (particularmente os rinovírus). Todavia, não funciona uma vez que a infecção já esteja estabelecida, pode causar inflamação e hemorragias nasais e tem efeitos limitados contra certos vírus, com os influenza e parainfluenza.



Política de Privacidade Termos de Utilizaçao Direitos Reservados © 2006 MERCK SHARP & DOHME PORTUGAL Merck & CO., (USA)