Merck Sharp & Dohme - Portugal
MSD Portugal Publicacoes MSD
Pesquisa
IntroduçãoAjuda


Imprimir Enviar Artigo

Doenças de transmissão sexual


As doenças de transmissão sexual (venéreas) são as que se transmitem frequentemente, senão em todos os casos, de pessoa a pessoa através do contacto sexual.

Como a actividade sexual dá oportunidade para que os microrganismos encontrem novos hospedeiros, uma grande variedade de microrganismos infecciosos podem transmitir-se deste modo. Eles englobam desde vírus microscópicos (por exemplo, o vírus da imunodeficiência humana) até insectos visíveis (por exemplo, o piolho-ladro ou púbico). O contágio em algumas doenças venéreas não exige penetração genital. Apesar de as referidas afecções serem o resultado das relações sexuais vaginais, orais ou anais com uma pessoa infectada, ocasionalmente podem ser transmitidas ao beijar ou manter um contacto corporal íntimo. Certos agentes de doenças de transmissão sexual podem ser transmitidos através dos alimentos e da água ou então das transfusões de sangue, dos instrumentos médicos contaminados ou das agulhas utilizadas pelos toxicodependentes.

Incidência

As doenças venéreas figuram entre as infecções mais frequentes do mundo. Nos países ocidentais, o número de pessoas com estas afecções aumentou de forma estável desde a década de 50 até à década de 70, mas de um modo geral estabilizou-se na década de 80. No final da década de 80, contudo, aquele número começou a aumentar de novo em muitos países, particularmente os casos de sífilis e de gonorreia.

Mais de 250 milhões de pessoas em todo o mundo infectam-se cada ano com gonorreia. Quanto à sífilis, os números indicam 50 milhões de pessoas em todo o mundo. Outras doenças de transmissão sexual, como a tricomoníase e o herpes genital, são provavelmente mais frequentes, mas, como os médicos não têm a obrigação de as comunicar aos organismos públicos,os seus números são menos fiáveis.

Actualmente, os tratamentos curam rapidamente a maioria as doenças de transmissão sexual e evitam que se propaguem. Contudo, certos microrganismos mais antigos, resistentes aos medicamentos, disseminaram-se amplamente, em parte devido ao transporte aéreo. Essa mobilidade foi parcialmente responsável pela rápida propagação do vírus da imunodeficiência humana (VIH).

O controlo das doenças venéreas depende de fomentar as práticas sexuais seguras e oferecer boas instalações médicas para o seu diagnóstico e tratamento. É fundamental educar as pessoas e explicar-lhes como evitar a propagação destas doenças, especialmente fomentando o uso do preservativo.

Outro aspecto do controlo é a localização do contágio. Os médicos tentam localizar e tratar todos os contactos sexuais da pessoa infectada. As pessoas que tenham sido tratadas são novamente examinadas para se ter a certeza de que estão curadas.

Classificação

Tradicionalmente cinco doenças foram classificadas como de transmissão sexual: a sífilis, a gonorreia, a úlcera mole, o linfogranuloma venéreo e o granuloma inguinal. Contudo, muitas outras se transmitem sexualmente, incluindo o herpes genital, a hepatite (Ver secção 10, capítulo 118), o Molluscum contagiosum (Ver secção 18, capítulo 204), o piolho-púbico (Ver secção 18, capítulo 203), a sarna (Ver secção 18, capítulo 203) e a infecção pelo VIH, que causa a SIDA. (Ver secção 17, capítulo 187) Outras, como a salmonelose e a amebíase, transmitem-se por vezes durante a actividade sexual, mas em geral não são consideradas doenças de transmissão sexual.

As doenças venéreas geralmente são agrupadas segundo os sintomas e sinais que produzem. Tanto a sífilis o herpes genital como o cancróide provocam úlceras (feridas) sobre a pele ou nas membranas que cobrem a vagina e a boca. Tanto a gonorreia como as infecções clamidiais causam uretrites (inflamação e secreção da uretra) nos homens, cervicite (inflamação e secreção do colo uterino) e infecções pélvicas nas mulheres e infecções oculares nos recém-nascidos.




Doenças que se podem transmitir sexualmente

Primeiras doenças de transmissão sexual reconhecidas

  • Úlcera mole ou cancróide.
  • Gonorreia.
  • Granuloma inguinal.
  • Linfogranuloma venéreo.
  • Sífilis.

Doenças de transmissão sexual mais recentemente reconhecidas

  • Cervicite por Chlamydia.
  • Piolho-ladro (pediculose púbica).
  • Candidíase genital (geralmente não transmitida por via sexual).
  • Herpes genital.
  • Verrugas genitais.
  • Infecção por VIH e SIDA.
  • Molusco contagioso.
  • Uretrite não gonocócica (em geral uma infecção por Chlamydia ou micoplasma).
  • Sarna.
  • Tricomoníase.

Doenças ocasionalmente transmitidas por via sexual

  • Amebíase.
  • Infecção por Campylobacter.
  • Infecção causada por citomegalovírus.
  • Giardíase.
  • Hepatite A e B.
  • Salmonelose.
  • Shigellose.


Política de Privacidade Termos de Utilizaçao Direitos Reservados © 2006 MERCK SHARP & DOHME PORTUGAL Merck & CO., (USA)