Merck Sharp & Dohme - Portugal
MSD Portugal Publicacoes MSD
Pesquisa
IntroduçãoAjuda


Imprimir Enviar Artigo

Úlcera mole


A úlcera mole (ou cancróide) é uma doença de transmissão sexual causada pela bactéria Haemophilus ducreyi, que produz úlceras genitais dolorosas e persistentes.

Apesar de ter sido uma doença rara, o número de casos de úlcera venérea mole tem aumentado nos últimos tempos. Uma pessoa com uma úlcera de cancróide tem mais probabilidade de se infectar com o vírus da imunodeficiência humana (VIH) se for exposta a ele.

Sintomas e diagnóstico

Os sintomas começam de 3 a 7 dias depois da infecção. As bolhas pequenas e dolorosas localizadas nos órgãos genitais ou à volta do ânus rompem-se rapidamente para formar úlceras superficiais. Estas podem aumentar de tamanho e unir-se entre si. Os gânglios linfáticos da virilha podem tornar-se muito sensíveis, aumentar de tamanho e fundir-se, formando um abcesso (acumulação de pus). A pele que cobre o referido abcesso pode adoptar uma cor vermelha de aspecto brilhante e provavelmente rasga-se, o que determina uma descarga de pus sobre a pele.

O diagnóstico da úlcera mole baseia-se no seu aspecto clínico e nos resultados das análises quanto a outras causas de úlcera. O facto de se colher uma amostra de pus de uma lesão e se conseguir cultivar a bactéria, procedimento tecnicamente difícil, pode ajudar o médico no seu diagnóstico.

Tratamento

Injecta-se ao doente um antibiótico, a ceftriaxona ou a eritromicina, de 6 em 6 horas durante pelo menos 7 dias. Com uma seringa elimina-se o pus acumulado num gânglio linfático inflamado.

O doente com úlcera mole venérea é controlado pelo médico durante pelo menos 3 meses para se ter a certeza de que a infecção está curada. Na medida do possível, tenta localizar-se todos os parceiros sexuais do indivíduo, para que possam ser examinados e tratados caso seja necessário.



Política de Privacidade Termos de Utilizaçao Direitos Reservados © 2006 MERCK SHARP & DOHME PORTUGAL Merck & CO., (USA)