Merck Sharp & Dohme - Portugal
MSD Portugal Publicacoes MSD
Pesquisa
IntroduçãoAjuda


Imprimir Enviar Artigo

Tipos de medicamentos tópicos


Os medicamentos tópicos podem dividir-se em sete categorias, frequentemente sobrepostas: agentes de limpeza, agentes protectores, agentes anti-infecciosos, agentes hidratantes, agentes absorventes, agentes que aliviam os sintomas e agentes anti-inflamatórios.

Agentes de limpeza

Os principais agentes de limpeza são os sabões, os detergentes e os dissolventes. O sabão é o detergente mais popular, mas também se usam muito os detergentes sintéticos. Certos sabões secam a pele, outros têm uma base cremosa que não provoca secura. Alguns sabões líquidos humedecem a pele, outros secam-na.

Dado que os champôs de tipo infantil são excelentes agentes de limpeza e, em geral, bem tolerados pela pele, eles são úteis para limpar feridas, cortes e abrasões. Também as pessoas com psoríase, eczema e outras doenças escamosas podem usar champôs de tipo infantil para eliminar a pele morta. No entanto, as lesões que supuram (exsudam) deveriam limpar-se só com água porque até os sabões e os detergentes mais suaves podem irritar a zona.

Aos detergentes são agregados muitos compostos químicos: por exemplo, os champôs e as loções anticaspa podem conter dipiritiona de zinco, sulfureto de selénio ou extractos de alcatrão que ajudam a tratar a pele que se descama. Os detergentes também podem conter pequenas quantidades de ácido acético, acetato de alumínio e sulfato de magnésio (como os sais de Epsom).

Agentes protectores

Muitos tipos diferentes de preparações ajudam a proteger a pele. Os óleos e os unguentos formam uma barreira de base oleaginosa que pode ajudar a proteger a pele descamada ou irritada e a reter a humidade. Os pós podem proteger as zonas da pele que roçam contra outras ou até contra uma peça de vestuário. As ligaduras hidrocolóides sintéticas protegem as úlceras por pressão e outras zonas da pele que estejam em carne viva. Os filtros solares criam um ecrã contra a luz ultravioleta.

Agentes anti-infecciosos

Os vírus, as bactérias e os fungos podem infectar a pele. No momento, a melhor forma de prevenir estas infecções é lavar a pele cuidadosamente com água e sabão. Outros agentes podem ter maior acção desinfectante ou tratar infecções já instaladas. A maioria dos agentes desinfectantes só são utilizados por médicos e enfermeiras para esterilizar a sua pele e a dos seus pacientes antes de uma intervenção cirúrgica. No entanto, são utilizados frequentemente certos medicamentos para tratar as infecções causadas por bactérias e fungos. Por exemplo, aplicam-se antibióticos sobre a pele para os casos de acne e de infecções cutâneas superficiais. É também muito frequente aplicar clotrimazol e miconazol sobre a pele para tratar infecções fúngicas. Ambos são de venda livre. Outros agentes antifúngicos, como os cremes com quetoconazol só podem ser adquiridos com receita médica. Medicamentos como o lindano (isómero gama do hexaclorociclo-hexano) ajudam a tratar infestações como a sarna.

Agentes hidratantes

Na realidade, os agentes hidratantes não proporcionam humidade à pele, apenas lhe permitem conservar a sua humidade natural. A maioria dos hidratantes são cremes ou loções que contêm óleo. Aplicar uma fina camada de óleo sobre a pele ajuda a evitar que a água da mesma se evapore. O melhor momento para aplicar estes agentes é quando a pele já está humedecida, imediatamente após um banho ou um duche, por exemplo. Alguns hidratantes mais fortes contêm compostos como a ureia.

Agentes absorventes

Uma humidade excessiva na pele pode causar maceração, um problema que geralmente resulta da fricção entre duas zonas de pele com retenção de humidade, especialmente nos dias húmidos e quentes. As áreas mais frequentemente afectadas são as que se encontram entre os dedos dos pés ou entre as nádegas, nas axilas ou nas virilhas e por baixo das mamas. Estas áreas húmidas constituem também terreno fértil para as infecções, especialmente as causadas por fungos e bactérias.

O pó de talco é o agente absorvente mais utilizado. O talco absorve a humidade da superfície da pele. A maior parte das preparações de talco só variam nas essências que contêm e no invólucro. O amido de milho, outro bom absorvente, tem a desvantagem de favorecer o crescimento de fungos. Por esta razão, o talco costuma resultar melhor.

As soluções que contêm sais de alumínio são de eleição para peles danificadas por um excesso de humidade. Estas soluções são utilizadas nos hospitais e em lares para a terceira idade.

Agentes que aliviam os sintomas

As afecções cutâneas costumam ser acompanhadas de comichão (prurido). Por vezes, aplica-se um medicamento para aliviar a comichão, enquanto se usa outro para tratar a doença em si. O prurido e a dor ligeira podem ser controlados com agentes calmantes como a macela, o eucalipto, a cânfora, a menta, o óxido de zinco, o talco, a glicerina e a calamina. Por vezes, anti-histamínicos como a difenidramina são incluídos nas preparações tópicas para aliviar a comichão associada às reacções alérgicas. Embora os anti-histamínicos bloqueiem certos tipos de reacções alérgicas, provavelmente aliviam a comichão graças aos seus efeitos sedativos. No entanto, os anti-histamínicos podem também sensibilizar a pessoa e causar uma reacção alérgica. Para controlar certas formas de comichão, a pessoa deveria optar por anti-histamínicos de uso oral em vez de anti-histamínicos tópicos.

Agentes anti-inflamatórios

Os corticosteróides (fármacos semelhantes à cortisona) tópicos ou orais podem ajudar a reduzir a inflamação (tumefacção, comichão e vermelhidão). Os corticosteróides são muito eficazes nos casos de erupções causadas por reacções alérgicas ou inflamatórias face à hera venenosa, aos metais, ao vestuário e a outras substâncias. Uma vez que reduzem a resistência às infecções bacterianas e fúngicas, por norma não deveriam ser utilizados sobre zonas ou feridas infectadas. No entanto, em alguns casos os corticosteróides misturam-se com agentes antimicóticos para ajudar a reduzir a comichão causada por um fungo. As associações de corticosteróides e de antibióticos utilizam-se em situações excepcionais porque, regra geral, não são mais eficazes do que os corticosteróides por si só. Além disso, os antibióticos (em especial a neomicina) aumentam o risco de uma reacção alérgica que poderá complicar o problema.

Os corticosteróides tópicos comercializam-se sob a forma de loções, cremes e unguentos. Os cremes são muito eficazes se se esfregarem suavemente até desaparecerem. Normalmente, os unguentos são os mais potentes. O tipo e a concentração de corticosteróides na preparação determinam a sua potência geral. A hidrocortisona pode ser adquirida em concentrações de até 1 % sem prescrição médica; concentrações menores ou iguais a 0,5 % são menos eficazes. Os preparados corticosteróides mais fortes precisam de receita médica. Os médicos costumam receitar primeiro corticosteróides fortes e a seguir outros de menor potência à medida que a pele se cura. Regra geral, os corticosteróides de uso tópico aplicam-se duas ou três vezes por dia em pequenas quantidades. Nas zonas em que a pele é muito fina, como por exemplo na cara, devem ser utilizados em quantidades mínimas e só durante alguns dias.

Quando se precisa de uma dose mais elevada, o médico pode injectar um corticosteróide exactamente por baixo da pele. Outra forma de administrar uma dose elevada consiste em aplicar uma ligadura oclusiva não porosa com um corticosteróide tópico para aumentar a absorção e a eficácia do fármaco. Por exemplo, é possível aplicar uma película de polietileno (o papel transparente de uso doméstico para embalar alimentos) sobre um creme ou um unguento e deixá-la toda a noite. Com este método, os cremes e os unguentos são menos irritantes que as loções. As ligaduras oclusivas aumentam o risco de reacções adversas aos corticosteróides, pelo que geralmente se reservam para doenças como a psoríase e o eczema grave.




Potência de alguns corticosteróides tópicos
Potência Medicamento Apresentação
Baixa Hidrocortisona Creme, unguento ou loção 2,5 % ou 1,0 %
Média Betametasona, valerato Creme 0,1 %
Fluocinolona, acetonido Creme ou unguento 0,025 %
Hidrocortisona, valerato Creme ou unguento 0,2 %
Triamcinolona, acetonido Creme, unguento ou loção 0,1 % ou 0,025 %
Alta Betametasona, dipropionato Creme ou unguento 0,05 %
Betametasona, valerato Unguento 0,1 %
Fluocinolona, acetonido Creme 0,2 %
Halcinonida Creme ou unguento 0,1 %
Muito alta Clobetasol, propionato Creme ou unguento 0,05 %
Halobetasol, propionato Creme ou unguento 0,05 %


Política de Privacidade Termos de Utilizaçao Direitos Reservados © 2006 MERCK SHARP & DOHME PORTUGAL Merck & CO., (USA)