Merck Sharp & Dohme - Portugal
MSD Portugal Publicacoes MSD
Pesquisa
IntroduçãoAjuda


Imprimir Enviar Artigo

Dermatite por coceira localizada


A dermatite por coceira localizada (líquen simples crónico, neurodermite) é uma inflamação crónica superficial da pele que provoca uma comichão intensa. Provoca secura, escamação e o aparecimento de placas escuras e grossas de forma oval, irregular ou angulosa.

Desconhece-se a sua causa, mas é provável que certos factores psicológicos favoreçam a sua aparição. Esta doença não parece ter origem alérgica. Mais mulheres do que homens sofrem de dermatite por coceira localizada, uma doença muito frequente entre os asiáticos e os índios norte-americanos. É frequente o seu desenvolvimento entre os 20 e os 50 anos de idade.

Sintomas e diagnóstico

A dermatite por coceira localizada pode surgir em qualquer parte do corpo, incluindo o ânus (pruritus ani) e a vagina (pruritus vulvae). Nos seus primeiros estádios, a pele parece normal, mas o indivíduo sente comichão. Posteriormente seca, forma escamas e aparecem placas escuras como resultado da coceira e do esfregar.

Os médicos começam por averiguar o eventual stress psicológico ou as alergias ou doenças que possam provocar o prurido inicial. Quando este processo se desenvolve em redor do ânus ou da vagina, o médico pode pôr a hipótese de se dever a parasitas, a tricomoníase, a hemorróidas, a secreções locais, a infecções micóticas, a verrugas, a dermatite de contacto ou a psoríase.

Tratamento

Para que esta doença se cure, a pessoa deve deixar de se coçar e de esfregar a pele, pois é isso que provoca a irritação. Com o fim de tentar controlar o prurido, os médicos prescrevem anti-histamínicos por via oral e cremes com corticosteróides que devem ser suavemente esfregados sobre a área afectada. Uma compressa impregnada com um corticosteróide não só constitui um tratamento como também evita que a pessoa se coce. O médico pode injectar sob a pele corticosteróides de efeito prolongado para controlar a comichão. Existem outros medicamentos para o seu tratamento, como a hidroxizina ou a doxepina, que podem ser eficazes em algumas pessoas.

Quando esta doença se desenvolve à volta do ânus ou da vagina, o melhor tratamento é um creme com corticosteróides. Pode ser aplicada pasta de óxido de zinco sobre o creme para proteger a zona e que depois pode ser removida com óleo mineral. Esfregar fortemente o ânus com papel higiénico depois de defecar pode agravar a doença.



Política de Privacidade Termos de Utilizaçao Direitos Reservados © 2006 MERCK SHARP & DOHME PORTUGAL Merck & CO., (USA)