Merck Sharp & Dohme - Portugal
MSD Portugal Publicacoes MSD
Pesquisa
IntroduçãoAjuda


Imprimir Enviar Artigo

Erupções por fármacos


Este tipo de erupções constitui efeitos colaterais de um fármaco. (Ver secção 2, capítulo 10)

Os fármacos podem provocar vários tipos de erupções. A maior parte delas são consequência de uma reacção alérgica a um fármaco. Depois de tomar a primeira dose (ou as subsequentes) de um determinado medicamento, uma pessoa pode sensibilizar-se face ao fármaco. Uma exposição posterior ao mesmo fármaco pode provocar uma reacção alérgica. Regra geral, em questão de minutos, embora em certos casos possa levar horas ou dias, a pele regista uma erupção. Outros sintomas alérgicos (como o pingo no nariz, os olhos lacrimejantes ou um ataque de asma) também podem acompanhar a erupção.

Os medicamentos também provocam erupções directamente, sem que intervenha uma reacção alérgica. Por exemplo, os corticosteróides (fármacos semelhantes à cortisona) podem provocar acne e tornar a pele mais fina, enquanto os anticoagulantes (liquidificantes sanguíneos) podem provocar hematomas quando o sangue se derrama por baixo da pele.

Certos medicamentos fazem com que a pele se torne particularmente sensível aos efeitos da luz solar (fotossensibilidade). Entre eles figuram alguns fármacos antipsicóticos, tetraciclinas, sulfamidas, clorotiazida e alguns edulcorantes sintéticos. Quando se toma o medicamento, não aparece nenhuma erupção, mas uma posterior exposição ao sol faz com que a pele fique avermelhada, por vezes apareça comichão ou então adquira uma coloração cinzento-azulada.

Os fármacos podem provocar praticamente todos os tipos de erupção, mas entre as mais importantes destaca-se a urticária (Ver secção 16, capítulo 169), a necrólise epidérmica tóxica, o eritema polimorfo, a síndroma de Stevens-Johnson e o eritema nodoso.

Sintomas

A gravidade das erupções induzidas por fármacos varia entre uma vermelhidão ligeira com pápulas limitadas a uma zona reduzida e um desprendimento da totalidade da pele. As erupções podem aparecer repentinamente após a ingestão de um fármaco (por exemplo, quando a urticária aparece depois de se tomar penicilina) ou podem tardar horas ou dias. Em situações excepcionais, a erupção aparece até anos mais tarde; por exemplo, o arsénico pode provocar descamação da pele, mudança de cor e até cancro anos depois da sua ingestão.

Diagnóstico

São muitas as causas das erupções e actualmente não existe nenhuma análise de laboratório que possa confirmar que um fármaco é responsável por uma erupção. Descobrir qual é o fármaco responsável é muitas vezes complicado, porque a erupção pode surgir a partir de uma quantidade mínima de fármaco e verificar-se muito depois de a pessoa o ter tomado, além de poder persistir durante semanas ou meses depois de se ter interrompido a sua ingestão. Todos e cada um dos fármacos que a pessoa tenha tomado podem ser suspeitos, inclusivamente os de venda livre; as gotas para os olhos ou para o nariz, os supositórios são tudo causas possíveis. Às vezes a única forma de determinar qual o fármaco responsável pela erupção é interromper a ingestão de todos os medicamentos, salvo os que são vitais. Na medida do possível, substituem-se os fármacos por outros quimicamente não relacionados. Se não existirem substitutos, deve-se começar a tomar os medicamentos novamente um de cada vez para determinar qual é o que provoca a reacção. No entanto, este método pode ser arriscado se a pessoa tiver apresentado uma reacção alérgica grave ao fármaco.

Tratamento

A maior parte das reacções desaparece após a suspensão do fármaco responsável. Quando a erupção cutânea é seca ou provoca comichão, um unguento com corticosteróides pode ajudar a aliviar os sintomas. Apesar de geralmente os casos de urticária desaparecerem rapidamente sem tratamento, pode ser necessário recorrer a anti-histamínicos ou a corticosteróides orais. As erupções mais graves tratam-se com uma injecção de adrenalina ou de um corticosteróide.




Erupções frequentes que podem ser causadas por fármacos
Rash ou erupção Descrição Exemplos de medicamentos que podem provocar rash
Erupção fixa medicamentosa Um rash de cor vermelho-escura ou violeta que reaparece no mesmo local cada vez que se toma um determinado medicamento. O rash costuma aparecer na boca ou nos órgãos genitais. Em geral antibióticos (tetraciclina e sulfamidas), fenolftaleína (utilizada em certos laxantes).
Erupções purpúreas Manchas purpúreas na pele. As manchas costumam aparecer nas pernas. Diuréticos, alguns anticoagulantes.
Acne Erupção de pápulas e de manchas vermelhas distribuídas principalmente pelo rosto, ombros e na parte superior do tórax. Corticosteróides, iodetos, brometos,fenitoína, esteróides anabolizantes.
Urticária Elevações de consistência firme, de cor vermelha e branca, que assinalam uma reacção alérgica. Penicilina, aspirina, alguns corantes utilizados no fabrico de medicamentos.
Erupção morbiliforme ou maculopapular Erupção plana, de cor vermelha e mal definida, por vezes também acompanhada por elevações ou pápulas. Assemelha-se ao sarampo. Praticamente todos os fármacos, mas em especial barbitúricos, ampicilina,sulfamidas, outros antibióticos.
Síndroma de Stevens-Johnson ou erupções menos graves que afectam as membranas mucosas Pequenas bolhas ou um rash semelhante à urticária, localizado no interior da boca ou da vagina ou, então, na extremidade do pénis. Penicilinas, sulfamidas, barbitúricos,alguns fármacos para a hipertensão e para a diabetes.
Dermatite esfoliativa Pele espessada, vermelha e com descamação em todo o corpo. Penicilinas, sulfamidas.


Política de Privacidade Termos de Utilizaçao Direitos Reservados © 2006 MERCK SHARP & DOHME PORTUGAL Merck & CO., (USA)