Merck Sharp & Dohme - Portugal
MSD Portugal Publicacoes MSD
Pesquisa
IntroduçãoAjuda


Imprimir Enviar Artigo

Pitiríase versicolor


A pitiríase versicolor é uma infecção fúngica que provoca sobre a pele placas de uma cor que vai do branco ao pardacento.

A infecção é bastante frequente, especialmente nos adultos jovens. Raramente provoca dor ou comichão, mas impede o bronzeamento das zonas da pele afectadas, formando placas. As pessoas com pele naturalmente escura podem apresentar placas claras e as de pele clara placas escuras. As placas localizam-se, normalmente, no peito ou nas costas e podem escamar-se ligeiramente. Com o passar do tempo, estas pequenas áreas podem juntar-se para formar placas extensas.

Diagnóstico e tratamento

Diagnostica-se a pitiríase versicolor pelo aspecto que apresenta. O médico pode utilizar a luz ultravioleta para pôr em evidência a infecção ou, então, pode examinar ao microscópio amostras de raspagem da zona infectada. Os champôs anticaspa, tal como o sulfureto de selénio a 1 %, normalmente curam a pitiríase versicolor. Esses champôs são aplicados, sem se diluírem, sobre as zonas afectadas (incluindo o couro cabeludo) ao deitar. Deixam-se toda a noite e são removidos de manhã por lavagem. O tratamento costuma prolongar-se por 3 ou 4 noites. As pessoas que apresentam irritação cutânea devido a este tratamento podem limitar o tempo de exposição da sua pele ao champô a 20-60 minutos, ou então podem recorrer a medicamentos com receita.

É possível que a pele não volte a recuperar a sua pigmentação normal até muitos meses depois do desaparecimento da infecção. O processo reaparece com frequência, inclusivamente depois de um tratamento satisfatório, porque o fungo que o provoca é um hóspede normal da pele. Se reaparecerem as lesões, deve-se repetir o tratamento.



Política de Privacidade Termos de Utilizaçao Direitos Reservados © 2006 MERCK SHARP & DOHME PORTUGAL Merck & CO., (USA)