Merck Sharp & Dohme - Portugal
MSD Portugal Publicacoes MSD
Pesquisa
IntroduçãoAjuda


Imprimir Enviar Artigo

Verrugas


As verrugas são pequenos tumores cutâneos causados por qualquer dos 60 tipos de papilomavírus humanos.

As verrugas podem aparecer em qualquer idade, mas são mais frequentes nas crianças e menos frequentes nas pessoas de idade. Embora as verrugas da pele se propaguem facilmente de uma zona do corpo para outra, em geral não são facilmente transmissíveis de um indivíduo para outro. No entanto, as verrugas genitais, essas sim, são contagiosas.

A maior parte das verrugas são inócuas. Os tipos mais frequentes não degeneram em cancro. Alguns tipos pouco frequentes e outros tantos que infectam o colo do útero e o pénis tornam-se, em determinadas situações, cancerosos.

O tamanho e a forma da verruga dependem do tipo de vírus que esteja na sua origem e da sua localização no corpo. Algumas verrugas não são dolorosas; outras causam dor por irritação dos nervos. Algumas verrugas crescem em grupo (verrugas em mosaico); outras aparecem como formações isoladas e únicas. É frequente as verrugas desaparecerem sem tratamento. No entanto, algumas persistem durante muitos anos e outras desaparecem e voltam a aparecer.

Diagnóstico

Quando os médicos examinam um tumor na pele, devem tentar definir se se trata de uma verruga ou de algum outro tipo de neoformação. Algumas formações que podem parecer verrugas são, na realidade, apêndices, molas, calos, calosidades ou até cancros da pele. As verrugas classificam-se em função da sua forma e da sua localização.

Quase toda a gente tem verrugas vulgares (verrucae vulgaris). Estas são protuberâncias duras que têm uma superfície rugosa. São arredondadas ou irregulares, de cor acinzentada, amarela ou parda e, em geral, têm menos de 1 cm de diâmetro. Normalmente aparecem em zonas submetidas a frequentes traumatismos, como os dedos, à volta das unhas (verrugas periungueais), nos joelhos, na cara e no couro cabeludo. Podem disseminar-se, mas as verrugas vulgares nunca são cancerosas.

As verrugas plantares aparecem na planta do pé, onde geralmente são achatadas pela pressão que é feita ao caminhar e são rodeadas de pele engrossada. Podem ser extremamente dolorosas. Ao contrário das calosidades e dos calos, as verrugas plantares têm tendência para provocar hemorragias com a forma de pequenas sardas puntiformes, quando o médico raspa ou corta a superfície com um bisturi.

As verrugas digitadas (ou filiformes) são formações compridas, estreitas e pequenas que costumam aparecer nas pálpebras, na cara, no pescoço ou nos lábios.

As verrugas planas, que são mais frequentes em crianças e adultos jovens, costumam aparecer em grupos com a forma de lesões lisas, de cor amarelo-pardacenta, sobretudo na cara.

O vírus que origina as verrugas húmidas (verrugas venéreas, condiloma acuminado) nos órgãos genitais transmite-se por via sexual. (Ver secção 17, capítulo 189)

Tratamento

O tratamento das verrugas depende da localização, do tipo e da gravidade, bem como do tempo de permanência sobre a pele.

Em geral, as verrugas vulgares desaparecem sem tratamento em menos de 2 anos. As aplicações diárias de uma solução ou de um emplastro que contenha ácido salicílico e ácido láctico amaciam a pele infectada, que se pode raspar suavemente para fazer com que a verruga desapareça mais rapidamente. O médico pode fazer um tratamento com congelação da verruga utilizando azoto líquido, mas é possível que tenha que repetir o processo ao fim de 2 ou 3 semanas para a eliminar por completo. A electrocoagulação (um tratamento que usa a corrente eléctrica) ou a cirurgia por laser podem destruir a verruga, mas ambos os procedimentos podem deixar cicatrizes. Independentemente do método utilizado no tratamento, a verruga reaparece em aproximadamente um terço dos casos. O médico também pode tratar as verrugas vulgares com produtos químicos como o ácido tricloroacético ou a cantaridina, que destroem a verruga. No entanto, costumam surgir novas verrugas à volta do bordo de outras anteriores.

As verrugas plantares costumam macerar-se com ácido salicílico mais concentrado, aplicado sob a forma de solução ou de emplastro. Este processo químico deve ser acompanhado do corte da verruga com um bisturi, da sua congelação ou da aplicação de outros ácidos sobre a sua superfície. Os médicos podem utilizar técnicas adicionais, tal como a injecção de determinadas substâncias químicas na verruga para a destruir. Em qualquer caso, as verrugas plantares são difíceis de curar.

As verrugas planas costumam ser tratadas com agentes descamantes, como o ácido retinóico ou o ácido salicílico, que fazem com que a verruga se solte juntamente com a pele descamada.



Política de Privacidade Termos de Utilizaçao Direitos Reservados © 2006 MERCK SHARP & DOHME PORTUGAL Merck & CO., (USA)