Merck Sharp & Dohme - Portugal
MSD Portugal Publicacoes MSD
Pesquisa
IntroduçãoAjuda


Imprimir Enviar Artigo

Reacções de fotossensibilidade da pele


Embora as queimaduras e outras lesões solares tardem a aparecer, algumas pessoas apresentam certas reacções inabituais, inclusivamente apenas uns minutos depois da exposição ao sol. Estas reacções são vermelhidão, descamação, urticária, bolhas e formação de placas espessadas e descamativas. Diversos factores podem contribuir para o aparecimento desta sensibilidade ao sol (fotossensibilidade).

A causa mais frequente é o uso de certos fármacos, como alguns antibóticos, diuréticos e agentes antifúngicos. As reacções de fotossensibilidade também se podem dever a sabões, a perfumes, como as águas-de-colónia que contêm essências (especialmente as que contêm bergamota e cheiram a menta ou a limão), ao coltar utilizado para tratar a caspa e os eczemas e a substâncias que se encontram em certas plantas herbáceas, como o céspede e a salsa. Certas doenças, como o lúpus eritematoso sistémico e a porfiria, também podem favorecer as reacções de fotossensibilidade.

Algumas reacções à luz (erupções polimorfas) parecem não ter relação alguma com doenças nem com fármacos. Em algumas pessoas, até uma breve exposição ao sol provoca urticária (placas vermelhas e salientes) ou eritema multiforme nas zonas expostas ao sol. As reacções cutâneas à luz são mais frequentes nas pessoas de climas temperados, no momento em que se expõem intensamente ao sol pela primeira vez durante a Primavera ou o Verão. Estas reacções são muito raras nas pessoas expostas ao sol durante todo o ano.

Prevenção e tratamento

A extrema sensibilidade à luz solar obriga a usar roupa protectora, evitar o sol o mais possível e usar filtros solares. Uma procura meticulosa de alguma doença, a ingestão de fármacos por via oral ou a presença de substâncias aplicadas na pele (como fármacos ou cosméticos) podem ajudar o médico a determinar a causa da fotossensibilidade. No entanto, acertar na causa torna-se uma tarefa difícil e, às vezes, impossível.

Por vezes, o tratamento prolongado com hidroxicloroquina pode evitar as reacções de fotossensibilidade e com frequência os corticosteróides orais podem acelerar a cura de tais reacções. Em certos tipos de fotossensibilidade, o tratamento pode consistir em ministrar psoralenes (fármacos que sensibilizam a pele à luz solar) e expô-la posteriormente aos raios UVA. As pessoas com lúpus eritematoso sistémico não toleraram este tratamento.




É saudável bronzear-se?

Numa palavra: não. Embora o bronzeado costume ser considerado um sinal de boa saúde e de uma vida activa e atlética, realmente constitui em si mesmo um perigo para a saúde. Qualquer exposição à luz ultravioleta A ou B pode alterar ou danificar a pele. A exposição prolongada à luz solar natural ou à artificial que se usa nos centros de bronzeamento podem provocar lesões crónicas na pele. Simplesmente, não existe um «bronzeado seguro».



Política de Privacidade Termos de Utilizaçao Direitos Reservados © 2006 MERCK SHARP & DOHME PORTUGAL Merck & CO., (USA)