Merck Sharp & Dohme - Portugal
MSD Portugal Publicacoes MSD
Pesquisa
IntroduçãoAjuda


Imprimir Enviar Artigo

Rinite não alérgica


A rinite não alérgica (Ver secção 16, capítulo 169) é uma inflamação da membrana mucosa do nariz, caracterizada por um corrimento contínuo (rinorreia) e uma congestão nasal, geralmente provocada por uma infecção.

O nariz é o sector das vias respiratórias superiores que se infecta com maior frequência. A rinite pode ser aguda (de curta duração) ou crónica (de longa duração).

A rinite aguda é o sintoma habitual da constipação. (Ver secção 17, capítulo 186) Pode ser provocada por vírus e por bactérias. Se a causa forem bactérias, o médico identifica-as e prescreve um antibiótico apropriado. Os antibióticos não serão eficazes se a rinite for provocada por um vírus. Em ambos os casos os sintomas podem ser aliviados tomando fenilefrina em forma de aerossol nasal ou pseudoefedrina por via oral. Estes medicamentos, de venda livre, permitem a constrição dos vasos sanguíneos da membrana. Os aerossóis nasais só devem ser utilizados durante 3 ou 4 dias.

A rinite crónica costuma ser causada pelo tabagismo, pela poluição do ar ou pelas alergias. Também pode dever-se a infecções tais como a sífilis, a tuberculose, o rinoscleroma, a rinosporidiose, a lepra, a leishmaniose, a blastomicose e a histoplasmose. Estas infecções destroem o tecido mole, as cartilagens e os ossos.

Os sintomas de rinite crónica são a obstrução dos canais nasais e o corrimento no nariz. Quando a rinite é provocada por uma infecção, é muito frequente que haja secreções de pus e hemorragias.

O médico tenta identificar os microrganismos responsáveis pela infecção, fazendo uma biopsia (extracção de uma pequena quantidade de tecido para o examinar ao microscópio) ou colhendo uma amostra do corrimento nasal para a sua cultura (crescimento de microrganismos realizado no laboratório). O tratamento depende do microrganismo identificado.

A rinite atrófica é uma rinite crónica em que a membrana mucosa se torna mais fina (atrofia) e endurece, fazendo com que os canais nasais se alarguem, sendo esta a principal diferença entre a rinite atrófica e as outras formas de rinite. A causa é desconhecida, apesar de nela estar provavelmente envolvida uma infecção bacteriana. Formam-se crostas dentro do nariz, do qual emana um odor desagradável (daí a denominação de ozena, dada a esta afecção).

As células que normalmente se encontram na membrana mucosa do nariz (células que segregam muco e têm cílios, filamentos semelhantes às pestanas, que expulsam as partículas de pó) são substituídas por células semelhantes às que se encontram na pele. A pessoa perde o sentido do olfacto (anosmia) e pode ter graves hemorragias nasais recorrentes. O tratamento tenta reduzir a formação de crostas e eliminar o odor.

Os antibióticos, como a bacitracina vaporizada dentro do nariz, matam as bactérias. Os estrogénios e as vitaminas A e D vaporizadas dentro do nariz ou tomados por via oral podem ajudar a estimular a secreção mucosa. Bloquear ou estreitar os canais nasais mediante cirurgia ou com uma bola de algodão, reduz a formação de crostas porque diminui a passagem do ar, que provoca a secura da fina membrana mucosa.

A rinite vasomotora é uma rinite crónica caracterizada por uma dilatação dos vasos sanguíneos na membrana mucosa do nariz, por espirros e por corrimento nasal. A sua causa é desconhecida, mas não parece ser uma alergia. Esta doença aparece e desaparece, mas piora com a sequidão do ar.

A cor da membrana mucosa inflamada varia entre o vermelho e o roxo. Não se formam crostas nem há secreções de pus. O tratamento é orientado para aliviar os sintomas, mas nem sempre é eficaz. O aumento da humidade do ambiente, por meio de um sistema de calefacção central humidificador ou de um vaporizador em casa e no trabalho, pode ser de grande ajuda.



Política de Privacidade Termos de Utilizaçao Direitos Reservados © 2006 MERCK SHARP & DOHME PORTUGAL Merck & CO., (USA)