Merck Sharp & Dohme - Portugal
MSD Portugal Publicacoes MSD
Pesquisa
IntroduçãoAjuda


Imprimir Enviar Artigo

Faringite


A faringite é uma inflamação da garganta (faringe), provocada em geral por vírus mas também, com frequência, por bactérias.

A faringite pode surgir em casos de infecções virais como a constipação comum, a gripe e a mononucleose, bem como nas infecções estreptocócicas (faringite estreptocócica) (Ver secção 17, capítulo 178) e algumas doenças de transmissão sexual (a gonorreia, por exemplo).

Os sintomas, que incluem dor de garganta e dificuldade em engolir, são semelhantes tanto na faringe viral como na bacteriana. Em ambos os casos, a membrana mucosa que reveste a faringe pode estar ligeira ou intensamente inflamada e coberta por uma membrana branca ou então por pus. A febre, a inflamação dos gânglios linfáticos do pescoço e uma contagem elevada de glóbulos brancos são típicos tanto da faringite viral como da bacteriana, embora estes sintomas possam ser mais evidentes na forma bacteriana.

Tratamento

Os analgésicos comuns, as pastilhas para a garganta ou os gargarejos de água morna com sal podem aliviar o mal-estar, mas às crianças ou adolescentes com menos de 18 anos não deve ser administrada aspirina porque pode provocar a síndroma de Reye. (Ver secção 23, capítulo 263) Os antibióticos não funcionam se a infecção for viral, mas podem prescrever-se se o médico suspeitar que a infecção tem uma origem bacteriana. Caso contrário, não se administram antibióticos até que as análises de laboratório tenham confirmado um diagnóstico de faringite bacteriana. Se as análises indicarem que a faringite é provocada por uma infecção estreptocócica (faringite estreptocócica), o médico receita penicilina, normalmente em comprimidos, para erradicar a infecção e evitar complicações como a febre reumática. Se se souber que a pessoa é alérgica à penicilina, pode receitar-se eritromicina ou outro antibiótico.

Dois tipos de faringite
Faringite viral Faringite bacteriana
Geralmente sem presença de pus na garganta. A presença de pus na garganta é bastante comum.
Febre ligeira ou ausência da mesma. Febre entre leve e moderada.
Contagem de glóbulos brancos normal ou ligeiramente elevada. Contagem de glóbulos brancos entre ligeira emoderadamenteelevada.
Gânglios linfáticos normais ou ligeiramente aumentados. Gânglios linfáticos entre ligeira e moderadamente aumentados.
Esfregaço faríngeo negativo. Esfregaço faríngeo positivo para estreptococos.
Numa cultura no laboratório não cresce nenhuma bactéria. Crescem bactérias numa cultura no laboratório.


Política de Privacidade Termos de Utilizaçao Direitos Reservados © 2006 MERCK SHARP & DOHME PORTUGAL Merck & CO., (USA)