Merck Sharp & Dohme - Portugal
MSD Portugal Publicacoes MSD
Pesquisa
IntroduçãoAjuda


Imprimir Enviar Artigo

Infecções bacterianas graves dos olhos


As infecções bacterianas graves dos olhos provocam inflamação e avermelham a pálpebra, a pele que rodeia o olho (celulite periorbital) e a área localizada dentro da cavidade ocular (celulite orbital).

A zona que rodeia os olhos pode infectar-se se a criança tiver uma ferida, uma picada de insecto ou uma infecção dos seios (sinusite). A infecção também pode estender-se aos olhos a partir de qualquer outra parte do corpo através do sangue. As infecções simples, como a conjuntivite, são provocadas por bactérias ou por vírus. Os olhos avermelhados também podem ser um sinal de alergia. (Ver secção 16, capítulo 169) As infecções simples e os problemas provocados por alergias são muito mais frequentes do que as infecções graves, como a celulite periorbital e orbital.

Sintomas

O primeiro sintoma de uma infecção grave do olho costuma ser a inflamação e a vermelhidão das pálpebras. Em mais de 90 % das crianças com uma infecção ocular, só é afectado um olho. A maioria das crianças tem febre, aproximadamente 20 % tiram mucosidade pelo nariz e outros 20 % têm uma infecção na parte branca dos olhos (conjuntivite). Nos casos de celulite orbital o olho protrai para a frente, o que paralisa os músculos dos olhos e impede que o olho se mexa. Os olhos doem e a visão fica afectada.

Sobretudo na celulite periorbital, mas também na celulite orbital, a pálpebra pode inflamar-se tanto que o oftalmologista tem de abrir o olho com um equipamento especial.

A celulite orbital pode provocar um coágulo de sangue que obstrui a artéria principal ou a veia que irrigam a retina. Tal obstrução danifica a retina e pode provocar cegueira do olho infectado. Por vezes, a infecção estende-se desde a cavidade ocular ao cérebro, provocando um abcesso, ou então as membranas que revestem o cérebro, provocando uma meningite bacteriana. Os coágulos de sangue podem bloquear as veias que irrigam o cérebro e provocar dores de cabeça, perda da consciência e até a morte. A celulite periorbital pode ser acompanhada de uma infecção no fluxo sanguíneo, mas normalmente não chega à cavidade ocular (órbita) nem ao cérebro.

Diagnóstico e tratamento

O médico examina o olho em busca de algum sinal de infecção e confirma se ainda pode mover-se, se está deslocado para a frente e se a visão se deteriorou. Uma análise ao sangue pode contribuir para a identificação das bactérias que provocam a infecção. A tomografia axial computadorizada (TAC) pode ser útil para localizar a infecção e confirmar até onde se propagou.

As crianças com infecções oculares graves são internadas num hospital e imediatamente é começada a terapia antibiótica por via intravenosa. A celulite periorbital pode exigir entre 10 e 14 dias de tratamento antibiótico (primeiro por via intravenosa e talvez depois por via oral). A celulite orbital pode requerer drenagem cirúrgica, bem como duas a três semanas de tratamento antibiótico (na sua maior parte administrado por via intravenosa). Algumas crises de celulite periorbital ligeira podem responder aos antibióticos subministrados por via oral. A conjuntivite mais frequente, mas menos grave, pode ser tratada com um antibiótico em gotas oftálmicas ou em unguento, ou então com antibióticos administrados por via oral durante 7 a 10 dias, sempre que a causa for uma bactéria e não um vírus.



Política de Privacidade Termos de Utilizaçao Direitos Reservados © 2006 MERCK SHARP & DOHME PORTUGAL Merck & CO., (USA)