Merck Sharp & Dohme - Portugal
MSD Portugal Publicacoes MSD
Pesquisa
IntroduçãoAjuda


Imprimir Enviar Artigo

Abcesso retrofaríngeo


Um abcesso retrofaríngeo é uma infecção dos gânglios linfáticos localizados na parte posterior da garganta.

O abcesso retrofaríngeo é raro nos adultos, pois os gânglios linfáticos da parte posterior da garganta desaparecem quando a criança se torna maior, se bem que os adultos podem sofrer de outros abcessos do pescoço e da garganta. Um abcesso costuma ser provocado por uma infecção estreptocócica que se tenha propagado desde as amígdalas, da garganta, dos seios, dos adenóides, do nariz ou do ouvido médio. Uma lesão na parte posterior da garganta provocada por um objecto afilado, como uma espinha, por vezes pode provocar um abcesso retrofaríngeo. Em casos excepcionais, a tuberculose também pode provocar um abcesso retrofaríngeo.

Abcesso retrofaríngeo

Normalmente, o abcesso é provocado por estreptococos provenientes do tracto respiratório superior.

Sintomas e diagnóstico

Os sintomas principais de um abcesso retrofaríngeo são dor ao engolir, febre e dilatação dos gânglios linfáticos do pescoço. O abcesso pode bloquear as vias respiratórias, provocando dificuldade em respirar. A criança tem tendência para inclinar a cabeça e o pescoço para trás e para levantar o queixo para facilitar a respiração.

As complicações compreendem uma hemorragia à volta do abcesso, uma ruptura do abcesso dentro das vias respiratórias (que pode bloqueá-las) e uma pneumonia. Pode ser provocado um espasmo da laringe e dificultar ainda mais a respiração. Também se podem formar coágulos de sangue nas veias jugulares do pescoço. A infecção pode estender-se ao peito.

Depois de observar os sintomas de um abcesso retrofaríngeo, o médico pede radiografias e uma tomografia axial computadorizada (TAC) para confirmar o diagnóstico.

Tratamento

A maioria dos abcessos requer drenagem, que se faz cirurgicamente abrindo o abcesso e permitindo que drene o pus. É administrada penicilina, clindamicina ou outros antibióticos, ao princípio por via intravenosa e depois por via oral.



Política de Privacidade Termos de Utilizaçao Direitos Reservados © 2006 MERCK SHARP & DOHME PORTUGAL Merck & CO., (USA)