Merck Sharp & Dohme - Portugal
MSD Portugal Publicacoes MSD
Pesquisa
IntroduçãoAjuda


Imprimir Enviar Artigo

Picadas de abelhas, de vespas, de vespões e de formigas


As picadas de abelhas, de vespas, de vespões e de formigas são muito frequentes em muitos países. Uma pessoa normal pode tolerar, sem problemas, 10 picadas por cada meio quilo de peso corporal. Isto significa que o adulto poderá suportar mais de 1000 picadas, enquanto 500 poderão matar uma criança. No entanto, uma picada pode provocar a morte em virtude de uma reacção anafiláctica (Ver secção 16, capítulo 169) em pessoas alérgicas. A morte, embora muito raramente ocorra depois de se sofrer múltiplas picadas de abelhas, costuma ser provocada por um mau funcionamento cardíaco e pelo colapso do sistema circulatório. Existe uma variedade de abelha muito mais agressiva, chamada abelha-assassina-africanizada, procedente da zona norte da América do Sul, a qual, ao atacar as suas vítimas em grandes grupos, provoca uma reacção muito mais grave do que as outras.

Em determinadas áreas, como o Sul dos Estados Unidos e sobretudo a zona do golfo do México, as formigas-vermelhas provocam milhares de picadas por ano. Até 40 % das pessoas que vivem em áreas urbanas infestadas podem ser picadas em várias alturas do ano e foram atribuídas pelo menos 30 mortes às picadas destes insectos. A picada da formiga-vermelha costuma provocar uma dor imediata e a zona fica inflamada e vermelha, sintomas que desaparecem num período de 45 minutos. Depois forma-se uma bolha que rebenta ao fim de 30 ou 70 horas e a zona costuma infectar-se. Em alguns casos, em vez de uma bolha, forma-se uma área vermelha e inflamada que provoca prurido. A anafilaxia (reacção alérgica que pode pôr a vida em perigo e na qual a tensão arterial baixa e as vias respiratórias se fecham) ocorre em menos de 1 % de quem sofre picadas de formigas-vermelhas. Alguns nervos do corpo podem-se inflamar e, às vezes, produzem-se convulsões.

Tratamento

As abelhas, as vespas e as formigas-vermelhas podem deixar o ferrão na pele ao picar. Este deverá ser retirado raspando suavemente a superfície cutânea até o fazer sair, mas nunca puxando por ele nem torcendo-o, visto que se poderá introduzir ainda mais veneno no corpo. Um cubo de gelo colocado sobre a picada reduz a dor. Também é útil aplicar cremes que combinem um anti-histamínico, um analgésico e um corticosteróide. Os alérgicos às picadas deverão ter sempre consigo um estojo de urgências com comprimidos de anti-histamínicos e uma seringa já carregada com adrenalina, a qual bloqueia as reacções anafilácticas ou alérgicas.

As pessoas que tenham tido uma grande reacção alérgica a uma picada de abelha podem ser submetidas a um processo de dessensibilização, que poderá evitar novas reacções no futuro. A dessensibilização é um processo pelo qual o corpo é exposto a pequenas quantidades da substância que lhe provoca uma reacção alérgica (alergénio) até que a referida reacção desapareça.



Política de Privacidade Termos de Utilizaçao Direitos Reservados © 2006 MERCK SHARP & DOHME PORTUGAL Merck & CO., (USA)