Merck Sharp & Dohme - Portugal
MSD Portugal Publicacoes MSD
Pesquisa
IntroduçãoAjuda


Imprimir Enviar Artigo

Taquicardia paroxística auricular


A taquicardia paroxística auricular é uma frequência cardíaca uniforme, rápida (de 160 a 200 batimentos por minuto) que acontece de forma súbita e se inicia nas aurículas.

Existem vários mecanismos que produzem as taquicardias paroxísticas auriculares. A frequência rápida pode dever-se a que um batimento auricular prematuro envia um impulso através de uma via anómala para os ventrículos.

Esta frequência cardíaca rápida costuma ter um início e um fim súbitos e pode durar de poucos minutos a várias horas. Na maioria dos casos, sente-se como que uma palpitação incómoda e muitas vezes é acompanhada de outros sintomas, como a fraqueza. Geralmente, o coração está normal e estes episódios são mais desagradáveis do que perigosos.

Tratamento

Os episódios de arritmia podem ser amiudadas vezes interrompidos através de uma ou de várias manobras que estimulam o nervo vago e que, como consequência, reduzem a frequência cardíaca. Essas manobras, que são habitualmente dirigidas por um médico, consistem em fazer com que o doente simule os esforços da evacuação, em esfregar o pescoço precisamente por baixo do ângulo do maxilar inferior (o que estimula uma zona sensível sobre a artéria carótida chamada seio carotídeo) ou em mergulhar a cara dentro de um recipiente com água muito fria. Estas manobras são mais eficazes se se efectuarem mal a arritmia comece.

Se estes procedimentos não surtirem efeito, a arritmia geralmente interromper-se-á se a pessoa for dormir. No entanto, as pessoas solicitam, habitualmente, a ajuda do médico para pôr fim ao episódio. Em regra, este é facilmente controlado administrando-se uma dose endovenosa de verapamil ou de adenosina. Quando os fármacos não surtem efeito, deve recorrer-se à cardioversão (aplicar um choque eléctrico no coração).

A prevenção é mais difícil que o tratamento, mas há vários fármacos que são eficazes, administrados sozinhos ou combinados. Embora raramente, pode acontecer ser necessário destruir uma via anómala no coração através de uma ablação com cateter (fornecendo de energia de radiofrequência através de um cateter introduzido no coração).



Política de Privacidade Termos de Utilizaçao Direitos Reservados © 2006 MERCK SHARP & DOHME PORTUGAL Merck & CO., (USA)